Noite de Sábado

Noite de Sábado

17/07/2018 51 Por Vomite.me

Era uma noite de sábado qualquer e estávamos presos em uma festa com bandas e bebidas fortes. Nossos olhares se cruzavam a cada instante. Meu corpo pedia pelo seu e seu olhar feroz rugia para mim. As energias foram nos puxando para mais perto, não conseguíamos controla-las. Eram desejos que passavam por minha mente turbulenta. Desejos obscuros que você foi criando, alimentando, dominando.

Eu estava lá apenas por uma coisa e sabia disso. Queria esconder a minha vontade da submissão de meu olhar fugaz, mas ela não saia de minhas retinas. Via-me amordaçada somente para você. Presa e encurralada como uma presa domável. Sentia-me ameaçada e sei que você também.

Alguns beijos molhados e não conseguíamos mais nos conter. Era uma febre interna que não passava. As energias se cruzaram e não se soltaram mais. De fininho íamos para a porta do banheiro. Trancou a porta e me beijou mortalmente. Eu seria capaz de fazer qualquer coisa naquele momento. Não conseguia pensar em nada a não ser na sua língua mexendo dentro de minha boca. Suas mãos fortes pegavam-me sem limites, passavam furiosas pelo meu corpo. Sentia seu pênis rígido e grosso se erguer.

As palavras não existam naquele momento, somente gemidos de prazer. Fui ficando cada vez mais molhada e com tesão até que ele meteu dentro de mim com força. Sentia suas mãos acariciarem minha bunda. Sentia sua língua percorrer meu pescoço, seus dentes mordendo com força, deixando-os totalmente roxos. Eu gostava da cor arroxeada que deixava pelo meu corpo. Nos outros dias lembrava com as marcas exalando em minha pele.

Seus gemidos foram ficando cada vez mais grossos e incontroláveis até que sentia sua excitação quente escorrer por minha bunda. Aquele era só o primeiro round e nós sabíamos disso, mas não sabíamos onde isso iria nos levar. Foi apenas uma noite de muito calor e o álcool falando mais alto. Ainda com o folego sem recuperar olhei sua blusa amarela e vi o Pernalonga fodendo a Lola. Olhei para seu rosto e um sorriso malicioso surgiu. Aquele banheiro deixou marcas em meu corpo nunca mais vistas ou lembradas.